As danças do fandango

Você sabe como o fandango chegou ao Brasil? Confira agora um pouco dessa história.


As notícias que temos é que no fim do século XVIII, segundo Alceu Maynard Araújo, as danças do fandango, que chegaram a animar as festas palacianas do início do século XIX, tiveram grande aceitação no Brasil, chegando a figurar ao lado dos minuetos e valsas a.


O fandango agradou tanto ao povo do Rio de janeiro que terminou por “Afandangar” o minueto.


O fandango espraiou-se até as áreas rurais.


Entrou no Rio Grande do Sul no século XVIII através dos tropeiros na região serrana. No litoral entrou pelos açorianos e os Lagunistas. Alguns estancieiros afirmam que os portugueses e espanhóis receberam os fandangos dos mouros. No anuário do Rio Grande do Sul (1906), de Graciano de Azambuja, há menção do fandango em algumas localidades do estado.


Alguns autores consideram o período como fandango no Rio Grande do Sul de 1800 a 1840. O Histórico das danças executadas no estado não se resume ao exposto anteriormente, pois em 1817, Nicolau Dreys informa sobre uma dança só por homens: A chula. O desafio dos sapateios entre homens em nada se relaciona com a chula portuguesa dançada por pares composto de homem e mulher.


Hoje o fandango designa qualquer sorte de baile ou divertimento onde homens se apresentam com trajes gaúchos. Nestes fandangos sejam de caráter popular ou privado aparecem ritmos como: Chote, polca, valsa, rancheira, vaneira, vanerão, bugio, limpa-banco, chamamé.


As informações captadas na hora das pesquisas, são pequenos fragmentos no que se refere ao fandango.


*Do livro, 1º Edição, Passos & Compassos Das Danças Gaúchas - Autores, José Moacir Gomes dos Santos e Rinaldo Souto de Oliveira


- Texto de Leleu da Silva - Diretor Cultural do CTG Os Praianos

Siga:

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone