A presença da mulher nos rodeios

Já que dia 08 de março é Dia Internacional das mulheres, vamos falar sobre a presença da mulher nos rodeios. Muito além de abrilhantar a plateia, elas assumem as rédeas e mostram que entendem de laço. Vem com a gente e conheça a história de duas mulheres que laçam muito.


Na foto a equipe de reportagem da NDTV com Janaína e Micheli


Quem frequenta ou de alguma forma se envolve com rodeios pode imaginar um evento primordialmente masculino, coisa para “macho”, como diriam nossos bisavós.


Acontece que, cada vez mais esse ambiente se abre para a presença feminina, não apenas como mera expectadora, mas como participante cada vez mais ativa do rodeio em si.


Não raro, observamos cada vez mais mulheres dominando os cavalos e participando de competições outrora exclusivamente masculinas. Muito além de torcedoras na plateia, hoje são prendas com completo domínio sobre seus cavalos e sobre uma de suas ferramentas primordiais: o laço.


Com muita determinação e força de vontade, elas vêm lutando para garantir seu espaço nesse universo masculino. Com muita garra, elas fazem valer seu direito de estar e participar das competições de igual para igual, marcando seu território e mostrando sua capacidade, e ainda por cima, esbanjando charme e beleza.


No Centro de Tradições Gaúchas Os Praianos, podemos ver o exemplo de duas dessas verdadeiras guerreiras que descobriram a graça, a beleza e, porque não, a força das mulheres nos rodeios.


É o caso de Micheli Maciel e Janaina Silva, duas jovens que, por caminhos diferentes, descobriram nos rodeios a razão de tudo. Micheli entrou no circuito inicialmente como uma parceira do pai nas cavalgadas, depois como expectadora nas arquibancadas, acompanhando o marido laçador. Posteriormente foi presenteada pelo esposo com um cavalo. Foi aí que ele começou a instigá-la a tomar parte nos torneios de laço.

Na foto Micheli e o pai em cavalgada no ano 1999.


Foi o que bastou. De treino em treino a paixão pelo laço foi aumentando. Hoje, o cenário se inverte e é ela que estimula o marido e outras pessoas a participarem dos torneios de laço, conhecendo diferentes estâncias a cada final de semana, fazendo grandes amigos em cada recanto por onde passam representando Os Praianos nas canchas de laço.

Na foto, Micheli e o Marido em mais um rodeio pelo Brasil.


Na foto, Micheli e a seleção de prendas - CTG Os Praianos


Já Janaina Silva entrou nesse universo pelas mãos de seu saudoso pai que, assim que ela nasceu, já lhe presenteou com um cavalo. Desde então, ela nunca mais deixou de participar dos rodeios. Hoje, a pouco mais de três meses de falecimento do pai, seu maior incentivador, o legado de participar dos treinos nos praianos e nos rodeios continua, mas hoje recebe o apoio de sua mãe, fiel companheira, com quem divide a responsabilidade de montar e desmontar os acampamentos e apreciar a vida saudável e acolhedora com sua imensa família tradicionalista.


Na foto, Janaína e o pai comemorando mais uma vitória pelos rodeios do Brasil


Mesmo não sendo uma sócia da entidade, Janaina diz que o CTG Os Praianos é uma referência não apenas na região, mas no Estado e no país, pelo incentivo à presença feminina nos rodeios.


As duas salientam as dificuldades enfrentadas nesse universo masculino, onde recebem pouco incentivo e aceitação por serem mulheres. Mas com persistência esse cenário vem sendo modificado e empresas já começam a patrocinar mulheres que conseguem se destacar no meio.


Janaina lembra que seu primeiro título foi conquistado aos oito anos de idade, ocasião em que não havia separação por idade nas modalidades. Hoje há distinção em modalidades bem definidas, o que torna a competição mais justa e viável.


Contudo, independente dos desafios enfrentados, as duas prendas são firmes ao dizer que o mundo dos rodeios é o que importa. E mais que tudo, a competição e os troféus que ficam como uma lembrança viva das vitórias alcançadas. Elas afirmam que trocam, sem pestanejar, qualquer diversão ou atividade por uma boa prova de laço.


Para outras mulheres que também desejam participar e aprender a laçar, o CTG Os Praianos têm, toda quarta-feira, a partir das 19h, treino de laço. “Aqui as porteiras estão abertas e todos são muito bem-vindos. No CTG Os Praianos, assim como nos rodeios do Brasil, as mulheres sempre são respeitadas e valorizadas. Somos uma grande família tradicionalista e, vê-las participando é um motivo de orgulho”, afirma o patrão do CTG Os Praianos, Lourival Ouriques.


Além da área campeira, a entidade oferece cursos de danças tanto tradicionalistas quanto de salão. Os ensaios da invernada artística acontecem todas as quartas e sextas-feiras, das 20h às 22h. Já os cursos de dança de salão nível iniciante acontecem as quintas-feiras e nível intermediário e avançado aos domingos, no mesmo horário.


Programe-se, pois o rodeio da família tradicionalista está chegando, de 04 a 08 de maio e, além das tradicionais modalidades do rodeio, as prendas terão seu espaço garantido com premiações na modalidade laço categoria adulta, juvenil e mirim, intituladas como prenda, prendinha e bonequinha.


O narrador Alessandro faz um convite muito especial a você. Solta o play!





Posts recentes

Ver tudo